novembro 17, 2015

Bali - Simples ser feliz




"Filosofando ou jogando conversa fora, o bom da vida é ter mente aberta."


Todos nós buscamos a felicidade. Queremos ser felizes, claro! Quem não quer? Mas onde se compra essa tal felicidade? Bali? Talvez!

Outro dia assisti a um vídeo de um filósofo que falava: "felicidade é uma vibração intensa, mas não é um estado contínuo. São episódios que você sente a vida te levar ao máximo, mas não é estado de euforia. Felicidade vem do que é realmente essencial. Precisamos buscar na fonte primária para termos autenticidade." Bravo, lindas palavras e ainda mais lindo o vídeo e...

Sempre fugi das aulas de filosofia e "papo cabeça" nunca foi comigo. Preferia fazer amigos, conversar e provar a vida de outra forma. Mas a Ásia me fez refletir e filosofar. E estar novamente em Bali é um mergulho em pensamento e sensações.

O que realmente é essencial? Não acredito em uma resposta matemática igual para todos. Mas o que constatei foi encontrar a tal felicidade em lugares com tão pouco, tão simples. Como ele também dizia "o simples não é simplista". Não, não é! E assim costuro chegando a Bali.

O simples de Bali é o essencial deles, mas nada simplista aos nossos olhos. Eles buscam na fonte e por isso vemos autenticidade em tudo, nas roupas, nos jeitos, na arquitetura, na religião, na cultura. Tudo está interligado. A vibração é tão intensa que olhamos atentos, querendo desmistificar, entender e elaborar uma equação que caiba à nossa vida.

_ Não acreditamos apenas no preto e no branco, existe o cinza entre eles. Os tons de cinza são o equilíbrio entre as extremidades. Explicou Made.

Esse é outro Made. Empreendedor, de casta elevada que preferiu seguir trabalhando com o turismo. Não tem carro próprio, aluga uma "Van", mas tem empresa com página na internet. Inteligente e com sacadas rápidas nos levava à risada.

_ Tudo que é demais, não é bom! Pouco amor, te deixa triste. Muito amor, mata você! Tudo é equilíbrio. Quando está feliz, está em equilíbrio. É isso que tem que buscar.

Veio o conselho entre um passeio e outro. Não estávamos filosofando, mas aqui eles são assim. Nascem filosofando nos conceitos simples da vida. Falam de maneira simplória, quase como crianças aprendendo a escrever. Encanta e faz pensar!

Templo de Tanah Lot.

Termina o dia na praia de Kuta.


Como crianças, dessa vez vim até Bali atrás de amigos brasileiros. Um casal especial que passava férias perto de casa, não pensei duas vezes em fazer as malas e desembarcar na ilha para aproveitar nem que fossem poucos dias. Foram dias deliciosos que compartilhamos aventuras e dividimos conhecimento. Juntos fizemos amigos fora dos padrões.

Gale, uma australiana despojada apareceu no corredor de pijama. Estávamos parados no lobby, após o jantar. Não paramos de conversar. Já era tarde, mas a vontade de aproveitar mais cinco minutinhos fala mais alto. Compartilhamos nossas vidas madrugada adentro. Parecia que a conhecíamos de longa data.

Gale ficará na nossa memória com uma frase: it's not fair! (Não é justo). Referindo-se as nossas idades versus a aparência. O rosto dela repetindo sem parar, ficou registrado e nos leva a boas risadas ainda hoje.

Filosofando ou jogando conversa fora, o bom da vida é ter mente aberta para conhecer o diferente e fazer amigos novos. Usar o simples para ser feliz.


Depois do filme, a família do Ketut montou
 um hotel para retiro e spa!
Lugar lindo e barato!

Pescador em Padang Padang.

Templo nos fundos de um café em Ubud.

Vestimenta balinesa. 

Floresta sagrada dos macacos. 

Virei parte da família. Hora do almoço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário